Tendo em vista que as iniciativas foram publicadas a partir do início da pandemia, em março de 2020, os interessados em participar de qualquer iniciativa devem procurar confirmar as informações nos canais de contato das iniciativas.

Para prevenir a proliferação do novo coronavírus, aulas nas escolas da rede pública foram suspensas, assim como atividades no contraturno escolar em Organizações da Sociedade Civil (OSCs) que oferecem este serviço nas comunidades de Florianópolis. É nestes lugares que muitas crianças e adolescentes fazem suas refeições diárias. Além disso, é onde ficam seguros e recebem atendimentos adequados para que as famílias possam trabalhar. Sem esses serviços, famílias vulneráveis sentem impactos que vão além do temor relacionado à doença. A falta de alimento, sem o fornecimento destas refeições, é uma das preocupações.

Grande parte das pessoas que precisam deste acesso à alimentação residem nas 67 Áreas de Interesse Social de Florianópolis. Nelas, moram mais de 65 mil pessoas, das quais 25 mil são crianças e adolescentes, conforme mostrou o Sinais Vitais lançado pelo ICOM em 2017.

Considerando que o acesso à alimentação é um direito básico e fundamental, o Fundo de Impacto para Justiça Social, mantido pelo ICOM e por uma rede de pessoas e organizações que doam sistematicamente para garantir direitos humanos e reduzir iniquidades sociais, abriu uma linha de apoio emergencial.

O ICOM (Instituto Comunitário Grande Florianópolis) é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos e de interesse público que atua como uma fundação comunitária.