Desafio 1 – Tábuas Montes Claros

Estado da comunidade: Minas Gerais | Município da comunidade: Montes Claros

Apresentação da comunidade

A comunidade de Tábuas fica distante 36 km da sede do município. Com população de 183 habitantes, a comunidade de Tábuas está inserida na Sub Bacia Hidrográfica do Rio Tabuas. “O Rio Tábuas, que nasce na Serra do Bom Sucesso, banha o Distrito de Miralta e a Comunidade de Cachoeira de Miralta, recebe o nome de Curral Velho, que nasce na fazenda São Tarcísio, de Basílio de Paula, serve de regra a grandes extensões de terra de cultura, banha o povoado de Tábuas e deságua no rio Verde, nas Araras.

A fonte de água para abastecimento comunitário, dessedentação de animais e irrigação é oriunda de poços artesianos, em sua maioria perfurados à revelia, sem a devida autorização dos órgãos ambientais responsáveis. Com relevo moderamente ondulado, o solo possui boa fertilidade, com bom potencial para exploração da agricultura, bovinocultué fator preponderante para frustrações de culturas anuais acima citadas, sendo que, as áreas afetadas são especificamente da agricultura familiar.

O presente projeto apresentado pela Associação de Moradores de Tábuas, localizada no distrito de Vila Nova de Minas, tem o objetivo de garantir a segurança alimentar das 72 famílias, em estado de vulnerabilidade, residentes na comunidade Tábuas. A maioria da população da comunidade de Tábuas se encontra na faixa etária dos 20 a 60 anos de idade, dados da Secretaria Municipal de Saúde. Sendo assim, são essas pessoas responsáveis pela sustentabilidade das suas famílias.

A população rural, também se modernizou, uns por dificuldade de produzir, outros por comodismo, vem adotando hábitos de consumo de alimentos que não condizem com seus costumes. Por comodidade e/ou sabores diferenciados tem levado a população a troca de alimentos naturais por produtos alimentícios, estimulados por comerciais dos meios de comunicação cada vez mais apelativos ao consumo. Esses produtos, ricos em calorias e carregados de aditivos intencionais, são responsáveis pelo aumento das taxas de sobrepeso, obesidade, hipertensão, diabetes etc. tornando-se um problema de saúde pública. Essa mudança de comportamento tem contribuído para geração de lixo, impactando negativamente no meio ambiente, além de conferir uma péssima aparência á natureza.

Após a criação do “Projeto Para Colher Basta Reciclar” e a implantação da coleta de lixo realizada na comunidade pela prefeitura, tem diminuído a exposição do lixo a céu aberto, porém a alimentação ainda deixa muito a desejar, considerando o baixo consumo de produtos cultivados na comunidade e região. Pensando em garantir a segurança alimentar da população local, em 2019 foi disponibilizada pela associação uma pequena área para o cultivo de uma horta comunitária no espaço onde funciona o projeto.

As famílias foram capacitadas pela Emater para o preparo de defensivos naturais (biofertilizante, EM etc.) para aplicação nas diversas culturas. Portanto, as hortaliças e as frutas são cultivadas totalmente isentas de agrotóxicos. Essa horta atende diretamente 06 (seis) famílias e indiretamente 183 pessoas, porém, os equipamentos/ferramentas utilizados não atendem as necessidades dos horticultores tornando o trabalho mais penoso. No espaço não existe área de higienização das hortaliças, o que compromete a qualidade do alimento.

A água utilizada para regar as hortas é oriunda do poço artesiano que abastece a comunidade. Em novembro 2021 foi construída uma caixa para coleta de água de chuva com capacidade de armazenar 50.000 litros com recurso do Codema, especificamente para irrigar a horta. São produzidos variedades de hortaliças, o que favorece suprir as necessidades nutricionais das famílias.

Após a criação do “Projeto Para Colher Basta Reciclar” e a implantação da coleta de lixo realizada na comunidade pela prefeitura, tem diminuído a exposição do lixo a céu aberto, porém a alimentação ainda deixa muito a desejar, considerando o baixo consumo de produtos cultivados na comunidade e região. Pensando em garantir a segurança alimentar da população local, em 2019 foi disponibilizada pela associação uma pequena área para o cultivo de uma horta comunitária no espaço onde funciona o projeto.

As famílias foram capacitadas pela Emater para o preparo de defensivos naturais (biofertilizante, EM etc.) para aplicação nas diversas culturas. Portanto, as hortaliças e as frutas são cultivadas totalmente isentas de agrotóxicos. Essa horta atende diretamente 06 (seis) famílias e indiretamente 183 pessoas, porém, os equipamentos/ferramentas utilizados não atendem as necessidades dos horticultores tornando o trabalho mais penoso. No espaço não existe área de higienização das hortaliças, o que compromete a qualidade do alimento.

OBJETIVO GERAL: • Promover a sustentabilidade alimentar, com produção e acesso aos alimentos saudáveis, gerando ocupação e renda para as 72 famílias da comunidade de Tábuas.

5.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS: • Capacitar as famílias no preparo adequado da área para a produção de hortaliças
• Elaborar junto as famílias plano de escalonamento da produção;
• Qualificar as famílias envolvidas, no cultivo e manutenção da horta comunitária;
• Requalificar as famílias para o preparo de defensivos naturais e aplicação correta;
• Propiciar a inserção de hortaliças no cardápio diário por meio de capacitação, preparo correto das hortaliças, higienização, cocção e preparo de pratos diversificados;
• Propiciar a redução do consumo de alimentos industrializados;
• Disponibilizar a população maior e melhor oferta de alimentos de qualidade;
• Proporcionar ocupação e renda para jovens, idosos e demais pessoas da comunidade melhorando sua autoestima;
• Reduzir a dependência da importação de alimentos de outras regiões.

Comitê mobilizador

  • Membro 1: AUREO ALMEIDA DE OLIVEIRA
  • Membro 2: LUIZA MARIA DE JESUS
  • Membro 3: THIAGO MARDEM MARTINS DE OLIVEIRA
  • Membro 4: ROSA APARECIDA DE OLIVEIRA
  • Membro 5: ARLEN AUGUSTO SOARES DO CARMO
  • Membro 6: WANDERLEI GONÇALVES DOS SANTOS
  • Membro 7: SHIRLENE DE JESUS PEREIRA
  • Membro 8: CLAUDIA GONÇALVES SOARES DE MOURA
  • Membro 9: WANDERLEY ALVES SOUTO
  • Membro 10: JOÃO ALVES SOUTO