Da confusão mental a problemas nos rins e coração: As possíveis sequelas da Covid-19

Atualizado em 27/8/2020

Diversos estudos divulgados nos últimos meses citam as sequelas deixadas pela Covid-19, que já infectou mais de 22 milhões de pessoas em todo o mundo e causou mais de 781 mil mortes até o momento.

Já é do conhecimento geral que o vírus pode fazer com que alguns sintomas persistam a logo prazo, nomeadamente problemas pulmonares, cardíacos, intestinais, cardio-vasculares e cerebrais. Agora, a ‘BBC’ publicou uma lista das outras sequelas que a infeção pode deixar no corpo humano. Confira quais:
.

Falta de ar ou dificuldade respiratória

São muitos os pacientes que têm relatado sintomas de cansaço ou falta de ar depois de terem a Covid-19, tal como confirma o pneumologista Gustavo Prado, do hospital Oswaldo Cruz, na Alemanha, citado pela ‘BBC’.

Um estudo chinês sobre a função pulmonar dos pacientes recuperados, realizado em Abril, mostrou que os danos nos pulmões eram uma das consequências verificadas, mesmo nos pacientes com casos menos graves da doença.
.

Fibrose pulmonar

Nos casos mais graves da doença, a fibrose pulmonar, uma doença crônica caracterizada pela formação de cicatrizes no tecido pulmonar, acometeu diversos pacientes. “A cicatriz preenche o espaço, mas não tem a mesma elasticidade, as mesmas características do tecido original”, explica Prado, citado pela ‘BBC’.

Esta condição clínica pode ser causada pela inflamação intensa e generalizada que o organismo provoca para tentar expelir o vírus do corpo, mas também pode ser resultado do próprio tratamento, quando o paciente é intubado, por exemplo.

“Apesar de necessária na síndrome respiratória grave, a ventilação não adequada pode causar exaustão sobre tecidos pulmonares, derivado a uma distensão exagerada, pela manutenção de pressões altas no enchimento do pulmões ou pela oferta de oxigênio exagerada”, pontuou Prado.
.

Síndrome Pós Cuidados Intensivos

Esta não é uma característica exclusiva da Covid-19, acontece em todas as infecções mais graves. Contudo, neste caso, o intervalo de internamento dos pacientes infectados pelo novo coronavírus é habitualmente maior, o que aumenta a probabilidade deste tipo de sequela.

“Os pacientes ficam muito tempo intubados, ou em oxigenação por membrana extracorporal, que consiste no uso de uma máquina que realiza a função do coração e pulmões e bombeia o sangue”, explica a pneumologista e investigadora da Fiocruz, Margareth Dalcolmo, citada pela ‘BBC’.

Os sintomas vão desde a perda de força muscular, alterações da sensibilidade e da força motora por disfunção dos nervos, bem como depressão, ansiedade, alterações cognitivas, falhas de memória e da capacidade de raciocínio.
.

Problemas nos rins e coração

O artigo da ‘BBC’ revela ainda que o vírus pode afetar de forma permanente os rins e o coração, depois de um estudo recente realizado na Alemanha ter concluído que, entre 100 pacientes recuperados, 78% apresentaram algum tipo de anomalia no coração mais de dois meses após a alta.

No caso dos rins, as evidências mostram uma incidência elevada de falência entre os casos mais graves de Covid-19. Um outro estudo revelou que entre 1 de Março e 5 de Abril, de 5.449 pacientes, mais de um terço, 1.993, desenvolveram insuficiência renal aguda.
.

Confusão mental

Para além disto a doença pode afetar as funções do cérebro, desde a confusão mental e dificuldade cognitiva ao delírio. Um estudo recente da University College London revelou um caso raro e grave de encefalite que tem afetado alguns pacientes com Covid, a encefalomielite aguda disseminada.
.

AVC

Outra complicação derivada da Covid-19 tem a ver com o sistema vascular, nomeadamente a ocorrência de acidentes vasculares cerebrais (AVC). O vírus aumenta a tendência de coagulação do sangue.

A coagulação sem precedentes pode conduzir a um tromboembolismo venoso, ou seja, o bloqueio de uma via sanguínea, que pode acabar a causar um AVC, embolia pulmonar ou a necrose de extremidades, levando à necessidade de amputação.

Fonte: Jetss