Covid-19 em Foco

Orientações para evitar disseminação da Covid-19 por delivery

Atualizado em 14/5/2020

Veja como diminuir o risco de contaminação do Coronavírus ao máximo com as entregas de alimentos em domicílio

Com a restrição na circulação das pessoas e o fechamento de restaurantes, feiras livres e outros locais de aglomeração, muitos produtores e consumidores dependem da entrega direta aos consumidores.

Entretanto, isso aumenta o risco de disseminação do vírus pelas pessoas que trabalham no sistema de produção, transporte e entrega.

Veja abaixo orientações de como diminuir o risco de contaminação com as entregas de alimentos em delivery.

1. Informações iniciais
O COVID-19 é um tipo novo de vírus que ataca somente humanos. Por ser novo, não temos ainda defesa (anticorpos) contra ele e, para nos infectarmos, basta apenas um vírus ativo encostar na pele que chamamos de mucosa (lábios e interior da boca e do nariz e dos olhos) ou se cair sobre uma ferida na pele (picada de inseto, corte, esfolado, etc.). Assim, é possível se infectar por coçar ou tocar as mucosas ou uma ferida com a mão ou objetos contaminados, ou receber gotículas contendo vírus provenientes de espirro, tosse ou apenas da respiração e fala de alguém contaminado.

O vírus é diferente de bactérias e não se multiplica nos alimentos ou outros meios de cultura, agindo somente em células vivas do hospedeiro (no caso do COVID-19, os humanos).

Como a maioria dos vírus, demora um tempo para que a pessoa infectada apresente sintomas do COVID-19 (os sintomas mais comuns são febre, tosse seca e dificuldade para respirar). Esse tempo parece variar de 7 a 14 dias depois do contágio. É preciso se atentar pois muitas pessoas infectadas não apresentam sintomas, mas ainda assim é possível transmitir o vírus para os outros.

As gotículas ou secreções contendo os vírus (espirros, tosse, fala, respiração) podem sobreviver por algum tempo sobre objetos e superfícies, e o toque de um objeto contaminado pode transferir o vírus, contaminando outros objetos e a mão que tocou neles.

Assim, objetos que são tocados várias vezes por dia e os tocados por muitas pessoas diferentes, são os mais perigosos, como por exemplo: celulares, canetas, maçanetas e trancas de portas e janelas, campainhas, botões de interfone e de elevador, chaves, corrimões, sacolas, embalagens, caixas, engradados, ferramentas e utensílios de produção etc.

Até mesmo o chão pode ficar contaminado com os vírus e os calçados são uma forma de transportá-los de um local para outro. As roupas, chapéus e bonés (assim como luvas e máscaras) também recebem as gotículas ou tocam em superfícies contaminadas, e podem carregar o vírus, que pode permanecer ativo nesses materiais por muitas horas.

Outros objetos no corpo, como óculos, anéis, aliança, pulseiras, relógios também são fontes de contaminação difíceis de limpar, por isso evite o uso quando manipular as entregas.

Por outro lado, felizmente o COVID-19 é um tipo de vírus que é sensível fora do hospedeiro (pessoa infectada) e sobrevive por pouco tempo na presença de luz solar direta, além de ser facilmente inativado por detergentes, sabões e desinfetantes comuns, como álcool a 70%, água sanitária a base de cloro (hipoclorito de sódio) ou de quaternário de amônio (amônia), detergente de cozinha, sabão em pó, desinfetantes contendo sabão, entre outros. Assim é muito eficiente lavar ou limpar as mãos, roupas, objetos e alimentos com água e sabão (melhor e mais barato), ou com solução correta de água sanitária, ou álcool a 70%.

Como não sabemos quem e o quê está contaminado, devemos trabalhar como se tudo e todos estivessem contaminados. Assim diminuímos o risco de pegar a doença e passar o vírus adiante.

2. Orientações Gerais
IMPORTANTE: Se o produtor/manipulador estiver doente, há risco de transmissão às outras pessoas através de todos os objetos que ele toca e inclusive do alimento, de forma indireta. Desta forma, se apresentar febre, tosse, espirros, nariz escorrendo, dificuldade de respirar ou parar de sentir cheiros, o produtor/manipulador não deve ter acesso nenhum ao ambiente de trabalho e deve respeitar as regras de isolamento por 15 dias e/ou procurar orientação médica.

Lembrar sempre de evitar aglomerações e manter a distância de no mínimo 1,5 metro (um passo largo) de qualquer pessoa (colegas de trabalho e consumidores), evitando cumprimentar (aperto de mão, beijo, abraço, toques na roupa, etc) e evitando conversas desnecessárias.

Proteja os objetos e as pessoas: se ocasionalmente precisar tossir ou espirrar por causa de poeira ou engasgo, vire para longe e tape o rosto com o braço ou vire o rosto para dentro da roupa. Lave as mãos e o rosto em seguida com água e sabão. IMPORTANTE: Se ocorrer mais vezes pode ser sintomas do vírus, sendo assim comunique os demais e se afaste do trabalho.

Lembre-se que qualquer objeto pode estar contaminado. Seja objetivo. Faça o que tem que fazer, não se distraia com outras coisas, não toque no que não precisa ser tocado.

Destine horários durante a rotina diária para cada serviço e para estar em cada ambiente. Caso tenha funcionários, oriente-os sobre as rotinas e medidas de controle, segurança e higienização na produção e na manipulação dos alimentos.

Use o celular somente o necessário enquanto estiver trabalhando e reserve horários para realizar os pedidos. Prefira realizar pedidos via aplicativos de texto. Mantenha sempre a higiene do aparelho e da capa, caso tenha.

3. Colheita, manipulação e embalagem
Lave as mãos ao chegar e frequentemente, sempre antes de cada ação. Escove embaixo das unhas com escova macia e sabão, e esfregue bem a palma e as costas da mão, os pulsos e entre os dedos.

Utilize vestimenta adequada para a colheita e manipulação dos alimentos. Evite uso de adornos como chapéus, bonés, colares, brincos, esmalte nas unhas. Mantenha as unhas curtas e os cabelos presos, a barba curta e use touca e máscara próprias quando necessário. As toucas, máscaras e luvas podem ser fontes de contaminação se forem mal utilizadas. Não toque na máscara enquanto estiver trabalhando, descarte as luvas e a máscara em lixeira adequada depois de embalar os alimentos, e lave as mãos depois de tocar nas luvas e máscaras usadas.

Não toque ou coce os olhos, nariz e boca enquanto estiver trabalhando. Quando precisar fazer isso lave as mãos antes e depois de fazer.

Mantenha sempre a organização do local, dos equipamentos e utensílios de forma a facilitar o trabalho manter o foco e tocar o menor número possível de superfícies e objetos.

Evite contato dos alimentos com várias superfícies diferentes. Reserve mesa ou bancada só para isso, que deve ser limpa e desinfetada antes e depois do serviço.

Todos os recipientes de armazenamento devem ser limpos com água e sabão. Se precisar lavar e secar com toalha de pano, use uma toalha limpa para cada lote.

Utilize embalagens adequadas para cada tipo de alimento, que devem ser íntegras, novas ou, se forem reutilizadas, devem estar adequadamente limpas.

Separar alimentos crus de alimentos cozidos, se for o caso.

4. Transporte e distribuição domiciliar
Antes de sair, organize o trajeto, a ordem das entregas e como será realizado cada pagamento. Arrume as entregas no caminhão/caminhonete ou veículo na ordem que serão tiradas, para não precisar pegar várias vezes em cada caixa ou sacola.

Caso o pagamento seja com dinheiro, destine um momento para deixar o troco separado de cada consumidor. Evite manipular o dinheiro (se possível combine o troco antes, no pedido, e leve já separado para cada comprador). Quando precisar pegar no dinheiro, lave as mãos antes de pegar em outras coisas.

Caso o pagamento seja com cartão, deixe que o consumidor insira o cartão e evite proximidade e contato o máximo possível. Limpe a máquina com um pano ou papel toalha embebido em álcool 70% antes de entregar para o consumidor, e depois de cada uso.

Mantenha distância do consumidor. Evite entrar na casa ou condomínio. Se precisar entrar para realizar a entrega, não toque em nada que não seja necessário. Lembre que maçanetas, interfone, campainha, botões de elevador podem estar contaminados ou podem ficar contaminados com seu toque. Lave as mãos antes de entrar e depois de sair (não toque no rosto durante a entrega, mantenha os cabelos presos).

5. Recebimento e manipulação domiciliar
Quem recebe os produtos em casa pode contaminar o entregador e pode ser contaminado por ele. Então todos devem manter distância, não se tocar e lavar as mãos depois de tocar nos mesmos objetos. Se estiver com sintomas de gripe e resfriado, cubra o rosto com um lenço ou máscara enquanto estiver em contato com o entregador.

Se possível receba as encomendas fora da porta, para que o entregador não precise entrar. Se ele precisar carregar as entregas para dentro, lembre que os sapatos são também fontes de contaminação. Coloque na entrada um pano de chão embebido com solução de água e sabão ou solução de água sanitária, e peça para limparem bem os pés antes de entrar na casa.

Limpe com pano embebido em água e sabão, ou com álcool líquido 70%, as maçanetas, trincos, interfones, campainhas, chaves e objetos que forem tocados pelo entregador, e que foram tocados por você depois de pegar os produtos que ainda não foram limpos.

Os alimentos e as embalagens dos alimentos recebidos devem ser devidamente limpos e desinfetados antes do armazenamento e consumo. Frutas, legumes e hortaliças devem ser lavadas com água e detergente, para tirar todas as sujidades aderidas, e devem ser deixadas em solução de água sanitária por 15-20 minutos antes de serem consumidas. Alimentos que são consumidos crus tem mais perigo de contaminação.

Lembre de prender os cabelos, retirar os adornos (joias e relógios) e lavar as mãos antes de manipular os alimentos, e de não tocar o rosto enquanto trabalha com eles.

Procure orientação confiável dos órgãos de saúde sobre como preparar soluções desinfetantes a base de água sanitária, como higienizar corretamente alimentos e objetos de uso contínuo, como celulares.

Fonte: Sebrae/PR