É seguro comer no self-service?

Atualizado em 22/9/2020

O novo normal já está aí: uso constante de máscaras, álcool em gel agora é onipresente na entrada dos estabelecimentos, marcações de distanciamento social em filas (embora nem sempre essa norma seja seguida) são uma realidade. E como lidar com o esquema self-service em restaurantes e buffets de café da manhã, por exemplo?

“O importante é sempre ter ventilação: em um restaurante ou padaria, as janelas devem ficar todas abertas. E temos que aguentar o frio, entre escolher o frio e a Covid-19, melhor o frio”, explica o médico infectologista Paulo Olzon, da Unifesp. “O ar parado facilita a transmissão”.

Ele citou um estudo, o da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, que mostrou como, ao conversar, tossir ou espirrar, espalhamos microgotículas de saliva no ar – um veículo perfeito para a transmissão do coronavírus. “Criamos microgotículas que não conseguimos observar, mas é possível ver em raios ultravioletas, é como se saísse uma névoa da boca, que pode ter vírus”.

Por isso que manter o ambiente ventilado é fundamental para evitar o contágio. “Para transmitir a doença, precisa ter concentração de vírus. A pior coisa é ter espaços fechados”. O cuidado vale também para outras doenças transmitidas pelo ar, como a gripe comum, H1N1, sarampo, resfriado e catapora, por exemplo. Além disso, o uso de máscara faz parte do protocolo, juntamente com o distanciamento social – assim o vírus não se concentra no ar.

Por isso que manter o ambiente ventilado é fundamental para evitar o contágio. “Para transmitir a doença, precisa ter concentração de vírus. A pior coisa é ter espaços fechados”. O cuidado vale também para outras doenças transmitidas pelo ar, como a gripe comum, H1N1, sarampo, resfriado e catapora, por exemplo. Além disso, o uso de máscara faz parte do protocolo, juntamente com o distanciamento social – assim o vírus não se concentra no ar.

Ele reforça que a transmissão do coronavírus pelos alimentos não é comprovada. “A transmissão por alimentos é algo que não é habitual, e sim pelas microgotículas que ficam no ar. O ideal é usar máscara o tempo todo”. Outro detalhe importante quando se fala no contágio pelo ar é conhecer o conceito de carga viral: em ambientes abertos, o vírus não consegue se concentrar.

“Quando há ventilação, não há uma carga de vírus muito grande. Isso é um conceito muito importante hoje. Se há poucos vírus, eles podem até estimular a imunidade do corpo e não provocam doenças, é o que se chama de imunidade de rebanho. Mas se a pessoa está em um lugar fechado, sem ventilação, aquilo tem efeito cumulativo. Os vírus continuam entrando até ter uma carga grande e causar doenças”.

Sendo assim, com os cuidados atuais, é possível voltar aos almoços por quilo e tomar o café da manhã em esquema de buffet nas padarias. Saber que o coronavírus se espalha pelo ar é um ponto de partida: manter a distância, usar máscaras e fazer a higienização das mãos e ambientes são cuidados que devem ser incorporados ao nosso dia a dia – e mantêm distante também a Covid-19.
.

Coronavírus não resiste à altas temperaturas

Cozinhar bem a comida resolve muitos problemas de higiene: o calor mata não somente o agente causador da Covid-19, mas outros vírus e bactérias. A regra vale tanto para restaurantes, bares e padarias quanto a cozinha da nossa casa. Estes estabelecimentos já seguiam normas mais rígidas de higienização antes da pandemia, e esses protocolos ficaram ainda mais severos. Em casa, para manter a segurança na hora de cozinhar, vale higienizar as embalagens dos alimentos com álcool 70%, lavar bem verduras, frutas e legumes, e cozinhar muito bem as carnes.
.

O novo normal nos restaurantes

Além de manter janelas abertas o tempo todo, para que o ar circule, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) estabeleceu protocolos de segurança para reabrir esses estabelecimentos, veja quais são:

1. Colocar álcool em gel na entrada, e nos locais onde ficam os talheres e pratos, disponibilizar luvas descartáveis;
2. Usar máscara o tempo todo, e retirá-la somente na hora que for comer;
3. Manter um funcionário no local do buffet para orientar os clientes na hora de se servir;
4. Colocar marcações no chão com distanciamento social entre os clientes na fila do buffet e no caixa;
5. Deixar as mesas mais distantes umas das outras – isso também reduz o número de pessoas dentro do local.
.

Fonte: www.diariodolitoral.com.br